Reforma ortográfica (parte 2)

Bom, eu tinha colocado “(parte 1)” no post anterior, então me sinto na obrigação de continuar, hehehe.

Como eu tinha dito, essa história de reforma vem se enrolando há anos. Vi numa edição da Zero Hora um artigo sobre o assunto e desta vez “parece” que vai pra frente, mas esse “parece” também parecia antes, hehehe. Lá encontrei dois pontos de vista, um a favor e outro contra.

O texto a favor, de Mauro de Salles Villar, enfatiza a necessidade da uniformização da escrita entre os países de língua portuguesa. Sem contexto, é uma idéia boa. Mas nos detalhes, simplesmente não dá pra gostar do troço. Pelos seguintes motivos: [1]: Porque as diferenças, ainda que pequenas, vão continuar a existir. Vão trocar 6 por meia dúzia. Ou talvez seja 6 por 5,9999999999991. [2]: Porque o inglês, a língua mais poderosa do planeta (sim, línguas também podem ser poderosas) além de ter uma ortografia tri-ilógica, também tem variações ortográficas entre seus países (color, colour; analog, analogue), então o argumento da importância da unificação perde sua força. [3]: Porque ignora o que eu falei no post anterior: estabilidade da escrita e custo financeiro da transição, e acrescento agora a insegurança que isso gera nas pessoas ao escrever. [4]: Porque, facilitar a ortografia não foi um objetivo, apenas deram uma ajeitadinha que não facilita nada e às vezes complica mais.

O texto contra a reforma, com o qual concordo (e cujos argumentos são a base deste meu texto, hehehe), é do professor Cláudio Moreno. No site dele tem outros textos (e até uma entrevista em vídeo) sobre o assunto. O único ponto com o qual discordo dele é que o melhor mesmo seria eliminar todos os acentos (admitidamente isso causaria outros problemas, mas pelo menos mataria a questão de uma vez, hehehe). Concordo, sim, que se quiserem fazer uma reforma ortográfica, esperem mais um 100 anos e então reformem tudo, tirando, tirando o “u” mudo depois de “q” e “g”, tirando o “sc” e “sç”, e assim por diante (edição: mudei os exemplos dessa possível reforma num futuro remoto). É preferível uma mudança radical ajeitando a casa de uma vez do que ir de pouco em pouco, porque ficar toda hora mexendo nos detalhezinhos é muita confusão. A acentuação continuaria, não sei bem em que forma, pois a atual já é razoavelmente lógica (se você acha que não, talvez tenha faltado o “momento eureka” ou talvez não tenham te ensinado direito, mas que tem lógica, isso tem!). Na minha opinião, certos acentos são mais importantes que certas letras… Por exemplo, o acento de “está” é mais importante do que a letra H de “hoje”, porque o primeiro mostra a pronúncia da palavra, e o segundo é só “estético” (ou melhor, “etimológico”)… Eu odeio quando leio uma coisa e depois tenho que reler porque vi que estava faltando acento e o sentido da frase era outro do que eu tinha pensado…

Outro lugar em que encontrei uma matéria sobre a reforma foi na revista Discutindo Língua Portuguesa, número 8. Lá falam algumas coisas “interessantes” (no mau sentido) sobre a reforma. Diz que os acentos nos “éi, ói e éu” vão cair, a menos que a palavra seja oxítona. Barbaridade! “Herói” e “heroico”? É isso mesmo? Putz. Entretanto, o trema, que é uma das coisas mais fáceis de entender, cairia. Vê se pode. Vão mudar as confusas regras do hífen? Bah, nem decorei as antigas ainda. Isso que eu gosto de português. É porque não encontrei lógica nas regras do hífen (ao contrário da acentuação, onde entendo a lógica). Coloco o tracinho sempre que acho que devo e pronto. E aliás, vão mudar como? Sempre falam superficialmente dessa mudança e quase nunca dizem o que é que muda mesmo. Dizem que a nova ortografia seria “paraquedas” em vez de “pára-quedas” porque a palavra “perdeu a noção de composição”. Nesse exemplo até fica melhorzinho (na minha opinião), mas não citam exemplos suficientes! :-o

Acho que esse pessoal deveria ir reformar a ortografia do inglês (que tá precisando), e quando terminarem poderiam vir com essa do português, hehehehehehe.

Anúncios

6 pensamentos sobre “Reforma ortográfica (parte 2)

  1. A única coisa que se salva da reforma é a retirada dos acentos dos “ôo” e “êe”, como em “vôo” e “dêem”. Esse acentos não tinham nenhuma utilidade mesmo, afinal, os exemplos citados são simplesmente uma paroxítona terminada em O e uma paroxítona terminada em EM…

  2. Ah, tinha esquecido: os acentos diferenciais de pêra e pólo também são (eram?) inúteis, porque só serviam pra diferenciar essas palavras de arcaísmos.

    Mas os outros são úteis…

  3. Já que, com essa nova reforma, o trema desapareceu, como então diferenciar a pronúncia de palavras como “consequente” (com trema) e “quente” ?

  4. Pra saber se o U é pronunciado? Só pela decoreba mesmo. Olhando no dicionário. Ou chutando e falando de qualquer jeito mesmo. :-/

    Por que não tiram o U mudo e pronto, então? Pelo menos o Q não precisaria do U, né? Consequente e qente, qe tal? hehehehehehe

    — Atualização: Parece que a reforma vai acontecer mesmo :-o

  5. Olá!
    eu tenho uma dúvida em português porém não estou tão certa que esteja no site mais adequado… :-) em todo o caso, vou pô-la aqui: a frase “estou satisfeito, sim, mas quero tudo que tenho direito” está realmente correta? não seria mais certo dizer “…sim, mas quero tudo a que tenho direito”?

    Muito obrigada por toda ajuda. Um abraço.

    • Oi Magda. Na minha opinião, você está certa, o “a” deve fazer parte da frase. Mas entendo que omiti-lo na fala coloquial não seria um erro de grande importância.
      Só queria lembrar que não tenho nenhuma autoridade nesse assunto (não fiz faculdade de letras), apenas tenho um certo gosto pelo idioma. Se precisar, no post tem o link para o site do professor Cláudio Moreno, o http://www.sualingua.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s