Detalhes… (Windows 7)

Alguém pode me explicar o que raios é esse espaço em branco (onde estão os pontos de interrogação) nesta janela?Janela "Opções de pasta" com espaço vazio desperdiçado à direitaQuando eu vi isso no Windows Vista achei estranho. Pensei que fossem corrigir no Windows 7. Mas está a mesma coisa! Será que corrigem no Windows 8?

Se não fosse esse espaço em branco, nem seria necessário ter uma barra de rolagem horizontal na lista “Configurações avançadas”…

Na versão em inglês não tem esse problema:

Versão em inglês das opções de pasta, sem espaço em branco.

Anúncios

Ctrl+Z

Seria bom se a vida tivesse um Ctrl+Z. Você tenta fazer algo. Se entenderam tudo errado o que você disse e agora te odeiam e te consideram a pessoa mais idiota do mundo, você aperta Ctrl+Z e pronto, é como se você nunca tivesse feito nada. Agora, se você gostar dos resultados, dá pra salvar e pronto. Segue adiante.

Se desse pra fazer Ctrl+Z, eu arriscaria muito mais… Mas sem esse recurso mágico tem coisas que não consigo fazer.

Eu tenho cara de…

Situação 1:

— Tu trabalha em quê?

— Com informática.

— Ah, eu sabia! Pensei que fosse isso mesmo!

Situação 2:

— Tu tem cara de quem não estuda muito e vai bem nas provas.

— Hehe, pois é… :-0

Situação 3:

— Tu trabalha com quê?

— Com informática.

— Ah, bem como imaginei! Quando eu olhei pra ti eu pensei: “deve trabalhar com informática!”

Interpolação de strings em Python

Mas que coisa! Em Python é só o cara passar um tempo fora e quando chega de volta já mudou um monte de coisas na linguagem. Quando eu aprendi a linguagem (na versão 2.3, há uns 5 anos), só havia uma maneira de inserir valores no meio de uma string: com o operador %, que funciona parecido com o printf do C.

Mas agora fui baixar o Python 3.1 pra automatizar uma tarefa aqui e me deparei com 3 (3!!!!! dá pra acreditar???) métodos totalmente diferentes de fazer a mesma coisa. O (1) jeito antigo do operador %, com a sintaxe “%d”, “%s”, “%f”, etc.; (2) a classe Template, com a sintaxe “${nome_campo}”, e (3) o método format, com a sintaxe “{nome_campo}”

Onde eles estavam com a cabeça? O Python 3 não era pra limpar a linguagem de coisas incoerentes? Por exemplo o caso do print, que era um comando especial e foi transformado em função. Li e reli os PEPs (0292 e 3101) e, embora eles tentem explicar, não entendi qual é o motivo de precisar de 3 formas diferentes de formatar strings, cada uma com uma sintaxe diferente. Não era o Python que dizia “There should be one– and preferably only one –obvious way to do it.”? (retirado do import this). Eu justamente preferia Python a Perl e Ruby porque estas duas têm milhares de maneiras de fazer as mesma coisas, com minúsculas diferenças (ex.: && e and) que fazem a gente perder tempo com minúcias.

Bom, fora isso, Python parece continuar sendo uma linguagem com uma legibilidade muito boa, poderosa e de alta produtividade. Se alguém tiver algo mais a comentar sobre a linguagem (especialmente da versão 3 em diante, que tem mais novidades), posta aí!

Classificação de músicas do Windows Media Player 11

Por que será que o Windows Media Player 11 classifica com 4 estrelas (de um máximo de 5 estrelas) músicas que só tocaram uma vez? Nas versões anteriores não era assim. Só num computador que uso que o Media Player classifica músicas novas com 2 ou 3 estrelas. Nos outros ele já põe 4 estrelas quando só tocou uma vez. Não dá pra entender. É um saco. :-(